Inicio >> Contos >> Vulv´s Ice: O poder de uma mulher

Vulv´s Ice: O poder de uma mulher

Conto erótico
By
J.O.Brooks & L.B.Brooks

 

Vulv´s Ice: O poder de uma mulher

Caroline sempre foi uma mulher desinibida, dependente e sofisticada, contudo com o seu trabalho nos últimos anos apenas se tinha dedicado exclusivamente a carreira, quando se olhou no espelho apercebeu-se que os anos tinham passado por ela, mas com 37 anos era uma mulher independente e não tinha de dar satisfações a ninguém, as suas amigas da faculdade eram casadas, moravam em condomínios fechados, cuidavam dos filhos e ao final de semana recebiam os amigos para um churrasco a beira da piscina, já ela era o oposto morava numa excelente cobertura perto do parque Ibirapuera, conduzia um conversível vermelho que chamava a atenção por onde passava, seu corpo era perfeito sem nenhuma marca de ter filhos e depois podia passar algumas horas na academia ficando em forma, sorriu ao pensar na sua perfeita vida, mas quando olhou para a sua cama vazia, um aperto no seu coração lembrou-a que faltava alguém deitado sobre os lençóis, alguns homens tinham passado na sua vida e nenhum tinha ficado preso.
Respirou fundo e pensou “Reclamar por homem, sou linda e poderosa!” observou-se mais uma vez no espelho antes de sair para trabalhar.
O elevador do escritório abriu as portas e quando viram a poderosa mulher a chegar todos correram para os seus lugares, Caroline era responsável por toda a parte financeira de uma multinacional e tudo tinha de funcionar na perfeição, ela gostava da perfeição em tudo, caminhou para a sua sala observando tudo e todos com o seu ar autoritário, assim que se sentou na sua mesa, alguém bateu a porta, com medo a assessora dela entrou entregando uma encomenda dos correios, estranhou porque não era seu aniversário e raramente recebia presentes, quando ficou sozinha viu o remetente, não conhecia a pessoa, mas os dados dela estavam na caixa, abriu e para sua surpresa uma caixa negra com um desenho azul de uma mulher brilhante chamou a sua atenção, um post-it colocado dizia “Use-me! Coloque no seu clitóris duas gotas, duas gotas nos lábios vaginais e mais duas dentro de você… Desfrute do que vou proporcionar!”.
Assustada jogou aquilo dentro da lixeira e pensou quem seria a pessoa que tinha enviado aquilo para ela, balançou a cabeça pensando no louco ou doida que tinha mandado aquele presente diferente, focou no seu trabalho e volta meia o seu olhar ia de encontro a embalagem negra e azul dentro do lixo, queria se focar mas na sua cabeça apenas uma palavra surgia “Use-me!”, a curiosidade era o seu maior defeito e quem mandou tinha prendido a sua atenção, pegou novamente a embalagem e pensou “Que mal pode acontecer se usar?”, um sorriso malicioso surgiu no seu rosto e foi no banheiro do seu gabinete com a embalagem, trancou a porta e deslizou a embalagem fazendo surgir um frasco interessante que chamava cada vez mais a sua atenção, abriu com cuidado e sentiu o cheiro agradável e refrescante, sem pensar colocou uma gota no dedo, colocando na boca, seus olhos abriram surpresos com as sensações que sentia na boca, aquela simples gota tinha provocado várias sensações, um frescor na sua boca acompanhado de uma sensação de aquecimento, um pinicar na língua fez Caroline sorrir e pensou “Que vou sentir na minha vagina?”, para o seu pensamento apenas uma resposta “Vou usar!” com algum cuidado aplicou tal como diziam as indicações no post-it, duas gotas no clitóris, duas nos lábios vaginais e duas dentro do canal vaginal, um calor invadiu o seu corpo e alguma coisa estava a mudar nela, um desejo surgiu do nada, assim como as sensações que ela sentia, abanou a cabeça para acreditar se era verdade o que estava a sentir, voltou a olhar para a embalagem e exclamou em voz alta:
– Onde você andou esse tempo todo?
A sua respiração ficou mais ofegante, assim como as batidas do seu coração, sentiu que precisava mostrar essa Caroline que surgia a cada segundo que sentia as sensações daquele produto, nunca tinha sentido aquilo nem com os seus brinquedos e agora apenas 6 gotas de um produto misterioso tinham provocado loucuras nela, arrumou-se e guardou a embalagem na bolsa dela, precisava de tomar um café urgentemente para se acalmar, quando saiu da sala os olhares de homens e mulheres foram na sua direção, mas eram olhares diferentes dos habituais, sentiu desejo nos olhos e era como se soubessem o que ela tinha acabado de fazer, pela primeira vez sentiu-se a ficar vermelha e pensou “Não pode ser do produto!”, caminhou em direção ao elevador e um homem passou por ela, piscou o olho e sorriu maliciosamente, Caroline abriu os olhos chocada com o que estava a acontecer, quando entrou no elevador estava sozinha e as portas começaram a fechar-se e uma mão segurou impedindo de fechar:
– Ainda bem que consegui!
Era um homem alto, pele morena e devia fazer academia, a camisa social denunciavam os músculos do seu peito e dos seus braços, os olhos da executiva corriam aquele homem e um desejo começou a incendiar o seu corpo, assim como a sua região intima onde tinha aplicado o produto misterioso, ele olhou para ela e sorriu:
– Sabia que ia gostar! – informou ele com aquela voz rouca.
– Não entendi? – perguntou Caroline sem entender o que ele queria dizer com aquelas palavras.
– Você está a usar o que lhe mandei! – declarou ele sorrindo, a mão dele deslizou no botão de parar do elevador.
Quando o elevador parou ela ficou assustada e falou alto:
– Você mandou-me isto? – respondeu ela tirando da bolsa o produto – Quem é você?
– Sim fui eu, há meses observo você e desejo-a, por isso ousei em enviar um produto para a deixar ainda mais excitante, sim você é excitante e com esse produto ficou ainda mais, viu como todos olham para você? É o seu pherômonio que está a exalar por conta do produto! – assim que a informou o homem mordeu o lábio.
Antes de ter tempo para reagir Caroline foi pressionada por aquele estranho contra o elevador, queria gritar e tomar alguma reação, mas não conseguia o desejo que estava a sentir era mais intenso do que o medo que estava a sentir, desejou culpar o produto que tinha usado, contudo sabia que ele era apenas um auxiliador para aquela loucura, seus pensamentos desapareceram no momento em que sentiu a sua boca a ser invadida por aquele estranho, o hálito fresco e uma língua invasora aumentavam ainda mais o desejo que ela estava a sentir, podia gritar ou entregar-se aquela loucura com aquele estranho dentro do elevador, quando pensou em gritar as mãos hábeis dele tinham aberto a sua blusa e apertava os seus seios deixando-a mais excitada, suas pernas tremeram assim como a sua vagina, mordeu os lábios ao sentir a boca daquele homem percorrendo os seus peitos, queria mais e sem pensar deixou as suas mãos percorrerem o corpo daquele homem, sentiu os músculos dele contraírem-se e aumentando de volume, a sua mão ficou mais ousada e tocou nele ainda, seus olhos abriram assustados como o membro dele pulando na sua mão, engoliu em seco ao imaginar aquilo tudo dentro dela e antes que pudesse dizer algo, sentiu ele sem deixar de morder os seus peitos abaixando a sua calcinha, pensou em gritar e mandar ele parar, não teve forças porque também desejava.
Contra a parede do elevador Caroline deixou o homem arrancar a sua lingerie, sentiu ele a abrir a sua calça e naquele momento fechou os olhos, numa mestria de quem sabe cuidar de uma mulher numa situação inusitada segurou-a fazendo com que ela ficasse presa na sua cintura e sem dar tempo para a executiva falar alguma coisa, penetrou-a, ela sentiu tudo entrar dentro dela com muita intensidade e uma sensibilidade que nunca tinha sentido, o produto que ela usava proporcionava ainda mais prazer, sentiu cada pedaço do membro daquele homem entrar dentro dela, pensou “Que loucura fazer isso com um estranho!” mas entregou-se ao momento e desfrutou de tudo o que estava a sentir, nunca tinha sentido aquilo e o produto que usava deixava-a ainda mais louca querendo mais aquele estranho homem, os minutos ficaram intensos e ela alcançou o orgasmo de forma alucinante, prendeu o membro dele dentro da sua vagina, graças as aulas de pompoarismo que tinha tido recentemente e fez com que ele gozasse intensamente, rapidamente ele saiu de dentro dela, arrumou-se deixando-a sem saber o que fazer perante aquela situação e respondeu:
– Obrigado! Vou ficar com a sua calcinha como lembrança desta loucura.
Antes mesmo dela se arrumar a porta do elevador abriu e ele saiu sem olhar para trás, rapidamente Caroline fechou a porta do elevador para se arrumar, a sua respiração estava descompassada com a loucura que tinha cometido com aquele homem num lugar publico, ela uma mulher importante entregando-se a loucura, abriu a bolsa e olhou o produto e gritou segurando o Vulv´s Ice:
– Isso é culpa sua! Adorei você, mas não posso fazer esse tipo de coisas.
Quando a porta do elevador saiu e ela saiu o telefone tocou, no visor o nome da pessoa fez ela sorrir, atendeu e do outro lado a voz falou:
– Sou casado com uma mulher muito louca, adorei essa fantasia! Gostou do produto novo que comprei?
Na realidade tudo não passou de uma fantasia de um casal, que gosta de apimentar a relação um com o outro vivendo vários personagens e você que vontades tem dentro dos seus pensamentos? Compartilhe com o seu parceiro ou parceira e realize com quem ama, mas quando brincar faça sempre com segurança!
É verdade e a cosmética sensual no relacionamento do casal é muito bom… Descubra mais nos produtos da intt.

Autor Marister Souza Santana

Blogueira, master trainer, empresária, coach sexual e profissional capacitada em saúde e educação sexual, ceo da Bebela Lingerie.

LEIA TAMBÉM

Fui provocar, fui seduzida

Oiii amores sou a Paula, Tenho 28 anos muito bem vividos, sou loira, linda do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *