Inicio >> Contos >> Empregada gostosa e boa de foda

Empregada gostosa e boa de foda

Estava em casa, sozinho aí eu vi a empregada da casa de minha mãe tomando banho lá no chuveiro no quintal ela não sabia que eu estava em casa quando eu a vi seminua com seu peitos de fora ela toda molhada com a calcinha transparente fiquei enlouquecido não aguentei e comecei a bater uma punheta na intenção empregada tesuda que apesar de ser baixinha e muito gostosa.

Gozei horrores falando nome dela. Já estava tarde era quase de noite, só eu e ela estávamos em casa.

Fazia dias que eu sonhava com aquela mulher.

Já tinha visto os peitos dela uma outra vez, quando ela estava saindo do banho.

Foi a partir dali que tinha começado meu ciclo de punhetas na intenção deles tinha terminado com a namorada. Então quase todos dia, depois de fumar um baseado no meu quarto eu louco de tesão depois que a empregada ia embora eu ia lá no quarto dela, pegava uma calcinha e cheirava, sentia a umidade nos fundilhos esfregava não a cabeça do cacete e ficava cheio de tesão e ali mesmo batia uma. Algumas vezes deixava a calcinha toda esporrada no mesmo lugar que ela tinha deixado.Eu sabia que era loucura e no dia seguinte quando ela chegava pela manhã eu ficava observando sua intenção.

Assim eu fiquei por mais de 3 semanas fazendo a mesma coisa.

Comecei a vigiar ela, uma dia ela tomou banho eu estava sozinho fui devagarinho ver na porta do banheiro quando lá cheguei ouvi seus gemidos e deduzi que ela estava batendo siririca.

Naquela dia minha mãe foi ao médico após o almoço eu fui levar ela de carro e voltei para casa. Quando cheguei fui para meu quarto e fiquei vendo filmes e lendo contos eróticos que adoro. Quando era 17 horas a empregada veio me perguntar o que eu queria para jantar.

Como eu estava vendo filmes tinha acabado de bater uma punheta e meu quarto estava com cheiro característico de sexo. Sara que não era boba percebeu e ficou me olhando é claro que ainda estava com pau ainda meio duro dentro do short, ela me olhou sorriu e já ia saindo quando eu perguntei a ela porque ela estava rindo?

Ela não disse nada e saiu rebolando provocante.

Ela fez o jantar e foi embora, naquele dia fui buscar minha mãe e na volta eu perguntei sobre a empregada. Foi ai que soube que ela separada do marido e que morava com a mãe tinha um filhinho.

Ahh sei quer dizer que separada foi ai que fiquei pensando no que ela estava pensando quando me viu ainda em estado de excitação vai ver safadinha deve está carente. No dia seguinte, fui falar com ela de manhã assim que ela chegou minha mãe foi trabalhar. Perguntei de novo porque ela riu quando percebeu que eu estava no quarto me masturbando?

Se por acaso ela tinha visto algo?

– Porque você riu? Diga Sara desde ontem estou encucado sobre isto.

Ela riu de novo, sem graça.

– Não sei – falou ela

– Você gostou? Do que viu?

Ela balançou a cabeça dizendo um sim e falou que riu porque enquanto eu estava me masturbando sozinho muitas vezes ela também carente saciava seu desejo por sexo também sozinha.

Mas você quer fazer sexo comigo Sara?

– Eu perguntei.

Ela fez com a cabeça que sim…

Fui em direção a sua boca e comecei a beijá-la. Que beijo bom.

Eu Já estava tirando a sua blusa, mas ela saiu do beijo e tirou minha mão.

Ela queria mas tinha medo de alguém chegar?

Perguntei, então o que poderíamos fazer então? Foi aí que ela disse que era casada, mas estava separada mas seu e andava vigiando ela.

Falei que eu não tinha namorada, que ninguém ia saber de nada que acontecesse entre nós que minha mãe só iria chegar d enoite naquele dia… ela pensou um pouco e ficou m olhando viu que eu estava bem excitado ai concordou que fossemos até seu quarto. Fomos depois que certifiquei que casa estava fechada.

Assim que cheguei em seu quarto nos abraçamos começamos a nos beijar, tirei suas roupas ela tirou meu short e caímos na cama.

Sara pegou no meu pau e começou a chupar, com muita rapidez estava louca de tesão. Foi um dos melhores boquete da minha vida.

Gozei em sua boca ela bebeu tudo sem deixar desperdiçar nada, ai eu fui em direção aos lindos peitos dela.

Comecei a chupar e apertava sugando-os.

Ela gemia e dizia que eu era tarado safado que sempre me observava, me pedia para eu meter nela logo que estava louca de tesão.

Atendi o seu pedido e tirei a calcinha dela, puxando com força que rasguei

A bucetinha dela estava toda molhada. Estava depilada toda lisinha. Dei uma lambida ela estava ensopada ai abri suas pernas e fui metendo devagarzinho a safada toda melada mas era bem apertada. Aos poucos meu cacete entrou todo foi ai que eu comecei aquele vai – vem gostoso. Socava forte e parava logo tirava cacete todo e metia com força ouvindo seus gemidos em pouco tempo nós dois gozamos juntos.

Ela falou que eu era louco mas muito gostoso, ai fomos tomar um banho juntos.

No chuveiro, eu contei pra ela que batia muitas punhetas na intenção dela, ela riu e disse que sabia, falei que ela era muito gostosa.

No banheiro eu chupei a bucetinha dela de novo ela gozou na minha boca deliciosamente e logo depois comi sua bucetinha de novo em pé no banheiro. Foi mais de 3 horas de muito sexo.

Ainda tentei comer seu rabo mas ela disse para deixar para outra hora que tinha coisas para fazer então terminamos o banho eu já tinha gozado 3 vezes e ela 4 porque com minha língua enfiada em sua bucetinha ela não aguentou e gozou de novo. Uma potranca de gostosa esta empregadinha safada.

Combinamos que sempre que tivermos os dois sozinhos em casa, nós vamos fuder gostoso.Ainda ela me disse que está morando em uma edícula (casa nos fundos) na casa dos pais que seu eu quiser posso ir lá em finais de semana ou quem sabe de noite

Vocês acham que eu perdi esta chance?

Nada no primeiro final de semana depois do que aconteceu entre nós falei com minha mãe que ia acampar com amigos e fui ficar com ela.

Sara adorou e eu também ficamos sábado à noite e boa parte do dia de domingo só transando.

Foi assim que ela me liberou seu rabo e eu gozei deliciosamente explodindo com um gozo intenso enquanto suas pregas apertavam meu cacete.

Agora me sinto realizado acabou-se as eras das punhetas se der vontade de fuder só fazer um sinal que Sara está pronta. E ficamos satisfeitos e felizes ambos jovens e desimpedidos

Autor Marister Souza Santana

Blogueira, master trainer, empresária, coach sexual e profissional capacitada em saúde e educação sexual, ceo da Bebela Lingerie.

LEIA TAMBÉM

Fodemos feito loucos

Tá com saudade, né? Eu sei. Tua mensagem não é uma surpresa. Meu corpo se …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *