Inicio >> Contos >> Fui provocar, fui seduzida

Fui provocar, fui seduzida

Oiii amores sou a Paula,

Tenho 28 anos muito bem vividos, sou loira, linda do tipo gostosona, corpo malhado, bem definido, tudo em dia. Sou lés, assumida, adoro uma boa sacanagem e muito mais.

Bom vamos lá, eu estava bem estressada por causa do trabalho, sou modelo de catálogos e vivo viajando para todos os lugares, é bem divertido e tudo mais, porém não paro em lugar nenhum por muito tempo, 2 meses aqui, 4 semanas ali, e sempre viajando, tem hora que isso é bem estressante.

Até que consegui pegar 2 semanas livres, férias dessa vida maluca. Estava no Paraná, depois de fazer algumas fotos para um catálogo, resolvi sair para matar alguém do coração. Coloquei um vestido bem curto, daqueles bem safados, colados no corpo. Resolvi dispensar lingerie, os bicos dos meus seios ficaram marcados discretamente sob o tecido, e como queria uma boa sacanagem já me livrei da calcinha.

Fui para uma balada bem gostosinha daqui de Curitiba, bem movimentada e super movimentada, cheia de pessoas lindas e interessantes.

Não me lembro direito que horas que eu cheguei, mas dancei muito, muitos caras vieram e tentaram e nada, dispensei todos, havia algumas meninas com carinha de safada, que me olhavam, mas não tomavam atitude, cheguei na bar e pedi uma Tequila, fiquei olhando em volta para ver se havia alguém interessante, tinha uma mulher bem gostosa dançando num canto perto do bar, fui lá me aproximei, ela era mulata, com um corpo delicioso, com coxas e peitos grandes, cabelos cacheados e muito cheirosa, fiquei olhando ela bem de perto, lambi meus lábios inúmeras vezes olhando em sua direção, até que ela percebeu. Ela piscou para mim numa hora, bom acho que aquilo foi um sinal, dei um sorrisinho e fui ao banheiro.

Fiquei esperandoe nada, pensei que tinha levado um fora. Ao sair do banheiro me dei de cara com ela, dei um sorriso bem grande, ela já sabendo que eu queria, retribuiu o sorriso, e passou por mim. Fiquei com raiva daquela safada, que me ignorou de propósito, voltei para o banheiro, fiquei olhando ela enquanto ela lavava as mãos.

Ela me perguntou se eu queria alguma coisa, eu disse que ela tinha que descobrir, assim ela chegou perto de mim, passou a mão molhada em meus cabelos, chegou até meu pescoço e me puxou contra o seu corpo, foi um beijo rápido. Nada demais, ou coisa do tipo, já tive beijos melhores. Depois, ficamos nos olhando um pouco sem graça, e ela me chamou para dançar. Fomos para a pista e a safada queria me deixar louca de vontade, ela passava mão em mim sem vergonha nenhuma, não liguei para as pessoas em volta, até houvia uns caras mexendo com a gente.

Fui tentar beijar ela, mas a safada afastou o rosto, depois ela me abraçou por trás, e com uma das mãos apalpou meus seios, meu vestido estava subindo e eu quase mostrando tudo, ficava toda hora ajeitando o vestido, mas ela percebeu e segurou meus braços, contra o meu corpo, o vestido estava no limite, mas a safada não me soltava, até que eu consegui soltar uma das mãos e arrumar o vestido, ela me disse no meu ouvido, vamos para o motel. Topei na hora, fomos pagar, e corremos para o estacionamento, ela me encostou contra o carro dela, suas mãos foram até minhas coxas, e levantaram meu vestido não resisti deixei ela bem a vontade, senti algo diferente, com uma de suas mãos, ela apalpou minha bunda, e apertava com força, depois um de seus dedos foi entrando na minha bunda, foi estranho e gostoso ao mesmo tempo, tentei me soltar, mas ela era mais forte, aquilo me deixou excitada, ela me deixou com as pernas bambas de tesão.

Fomos para o motel, e chegando lá nos pegamos no carro mesmo, foi dificil entrar no quarto. Entrei no quarto e já tirei a roupa toda, ela também e fomos para a cama, ela começou a me masturbar, com uma das mãos aquilo era bom, nos beijavamos, e sua mão sabia o caminho certinho para me deixar molhada, fiquei com as pernas bem abertas, e senti 3 dedos me comendo com ferocidade, senti um pouco de dor, mas aquilo era muito gostoso. Rebolei na mão dela, ela lambia meu rosto, me chamava de puta, aquilo foi ficando cade vez melhor, até que não resisti e gozei, foi um orgasmo maravilhoso. Ela pegou sua mão e fez eu chupar seus dedos, senti o meu gosto, estava com a minha vagina vermelha, depois fiquei de 4 para ela, senti uma língua áspera entrando em mim, levei um tapa na bunda, depois outro, outro e mais, até que gritei aquilo doeu, ela se levantou e puxou meus cabelos, e começou a lamber meu pescoço, com a outra mão ela explorava meus seios, até chegar no meu mamilo, e ficou brincando com ele, até que o apertou com com força, eu gritei, mas ela não soltou, e aquilo a deixou mais excitada, pois agora cada uma de suas mãos apertava um mamilo meu, nossa aquilo me deixava com raiva, dor e excitada ao mesmo tempo. Deitei na cama, mas mesmo assim ela não me soltou, foi gostoso sentir os bicos dos seios dela roçando nas minhas costas.

Ela me soltou e me virou de frente, me deu um tapa na cara, e me beijou bem gostoso, ficamos assim por um bom tempo. Dormimos juntas, e quando acordei vi as marcas da noite passada, com os seios vermelhos e arranhados, com a bunda dolorida e um chupão no pescoço

Foi ótimo, foi gostoso e toparia denovo, denovo e denovo…..

 

Autor Marister Souza Santana

Blogueira, master trainer, empresária, coach sexual e profissional capacitada em saúde e educação sexual, ceo da Bebela Lingerie.

LEIA TAMBÉM

Fodemos feito loucos

Tá com saudade, né? Eu sei. Tua mensagem não é uma surpresa. Meu corpo se …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *